sábado, 14 de janeiro de 2006


foto: www.fisher-price.com - alterada por Tom
"I want you, I want you, I want you... I think you know by now... I'll get to you somehow. Until I do I'm telling you so you'll understand."
(John Lennon, Paul McCartney)

Ô, meu bebê...

Como eu adoro te ver assim... ressonando, tranqüilo e sereno... é muito mais do que qualquer coisa que eu poderia imaginar ou querer da minha vida.

A partir de agora, seremos nós três. E você crescerá alegre, confiante e com saúde. Farei o máximo que puder para ser seu herói. Brincaremos muito juntos, e irei querer sempre saber do seu dia.

Você fará muitos amigos, será uma criança muito querida! Todos gostarão de você, todos irão querer ser como você.

Crescerá... entrará na adolescência... mas não nos afastaremos como tantos pais e filhos por aí. Você certamente se lebrará do velho aqui sempre! Faremos programas novos juntos. Poderei lhe ajudar em outros aspectos da sua vida, que não existiam em sua infância. Afinal, também já terei sido jovem.

Estarei sempre ao seu lado nas notas baixas, para lhe ajudar a melhorá-las; nas decepções amorosas, para mostrar que há vários peixes no mar e todo pescador tem o seu dia; em suas lutas diárias, para lhe aconselhar quando me aprouver e lhe aplaudir a cada vitória, ou mesmo derrota - o aplauso vai sempre para a tentativa.

Irá entrar na idade adulta. Vestibular, faculdade, seus primeiros passos realmente longe de mim. terei imenso orgulho de vê-lo seguindo fielmente os ideais que conquistar na sua juventude, sem deixar que a tão chamada "realidade" lhe tire todo o vigor necessário para a luta. Vibrarei quando conseguir o seu emprego, com todo o seu suor e garra. Encontrará o seu par. E logo, você estará aqui, no meu lugar.

Sim, no meu lugar. Exatamente aqui, nesta janela da maternidade, a olhar para um lindo bebê numa incubadora, esperando ansiosamente pelo dia em que poderá levá-lo para casa em seus braços... E eu estarei ao seu lado, para dizer "é tão lindo como o avô", do mesmo jeito que o seu avô fez hoje com você.

3 comentários:

Wallace Puosso disse...

Poxa Tom, você e o Luiz escreveram contos leves, positivos e na semana que vem eu virei com algo meio niilista, meio surreal!! rs... Acho que a graça está no equilíbrio entre as coisas, não é mesmo? Sensibilizei-me com seu conto. É isso aí. Abraço!

Flávio Perina disse...

Muito legal esta crônica. Quem não passa por aqui e não comenta, nem pode imaginar o que está perdendo. Um grande abraço a todos os Escrevinhadores...

Embora eu considere um auto-elogio fazer comentário em blogs nos quais escrevo, prometo que comentarei todos os textos aqui expostos...

Leo disse...

Eh, ter um filho é mesmo bem legal, pena que em alguns casos ele atrapalha sua vida...