quarta-feira, 6 de junho de 2007

O e I


NA ESCOLA


Em seu primeiro dia de aula, Fábio emperrou na porta da sala de aula. Estava com medo da escola nova, pois não conhecia ninguém ali. Para um menino fraco e pequeno que estava na primeira série, era um medo justificável. Paralisado na porta, interrompia o caminho da grande e espaçosa Laura...
- Menino, sai da minha frente, por favor?
Quando se preparava pra responder... levou um empurrão [tapão] nas costas e voou cerca de um metro e meio pra dentro da sala.
Chorou e tomou (por todos os dias letivos até o ínicio da terceira série) despeito da atitude grosseira da nova coleguinha. Isso porque a tal infernizava o pobrezinho. Chamava de fracote, nerd, boboca, magrelo, esqueleto, palito-de-dente. Pegava material sem pedir. Quebrava seus brinquedos até que ele parou de trazer. Às vezes até dava uns tapas, pois na maioria das vezes eram uns murros mesmo. Mas chegou um dia em que a gorducha foi embora para Catanduva.

NA VIZINHANÇA

- Fábio, esta é a Dona Carla, nossa nova vizinha.
- Prazer, Dona Carla – Cumprimentou o jovenzinho de doze anos.
Dona Carla era doceira. Mulher trabalhadora e muito gentil. Ótima vizinha, Fábio adorou ter uma doceira que...
- MÃE! ONDE tem mais daquele BOLO sensação?
... Tinha uma filha chamada Laura.
Saindo para o portão, lá estava a mesma gorduchinha enérgica, maior e mais espaçosa. Pois é... vejam como são as coisas... O pesadelo voltou para Fábio, mas agora, com 13 anos.
- Laura deve começar a ir para a mesma escola que Fábio a partir de amanhã. – Comenta Dona Carla.
Ótimo. Chegou o tempo para Fábio ter a sua desforra.
Anos de vacas magras para Laura, e de gordinhas maltratadas para Fábio. Ofensas, brincadeiras de mau gosto, piadinhas no meio das aulas... Laura foi perseguida por Fábio até o terceiro colegial.

NA FORMATURA


Acabou a festa e é hora de todos se despedirem. Os amigos que passaram por tantos momentos juntos devem agora se separar e viver novos caminhos e novas aventuras.
Àquela altura do campeonato, Laura já atendia mais por “Gorda” do que por qualquer outro “apelido carinhoso” e Fábio olhava quando lhe chamavam por Palito-de-Dente. Talvez o momento mais solene da cerimônia foi quando o Palito-de-Dente foi pedir desculpas à Gorda por todas as ofensas e brincadeiras estúpidas que se decorreram no colegial.
A Gorda por sua vez também se desculpou por todos os danos feitos, o material quebrado e os bofetes dados desde os tempos do primário. E não é que pela primeira vez se abraçaram?
Se acha pouco, eles também trocaram telefones, já que a Gorda não morava mais num bairro próximo ao do Palito-de-Dente. E a troca de desculpas/telefone, teve um bom resultado. Segue.

NA IGREJA


- Irmãos e Irmãs, estamos aqui hoje celebrando o matrimônio de Fábio Souza Campos com Laura Silva Prados....
Tema do Mês: Casamento. =]

3 comentários:

wallace puosso disse...

Felipe... vamos falar sobre casamento este mês? rs... vc anda apaixonado, é menino? hehe... blz, divertido, como sempre. Valeu!!!

Flávio Perina disse...

Vc me arranja cada uma, hem??? Eu que sou um cara que tem um monte de argumento contra o casamento, terie que flar sobre ele??? Vcs não imaginam o que vai sair no final da próxima semana... Um solteiro convicto falando sobre casamento, até que a morte os separe... Não percam a próxima e emocionate crônica...(Hummmm... Acho que isso vai dar m....)

Tom disse...

Escape-iii, escapee-iiiii.... hauahuahuahuah