sexta-feira, 15 de junho de 2007

Até que a morte os separe

“Mulher tenta se jogar da torre de telefonia celular após ser
abandonada pelo parceiro.”

O amor e a morte andam sempre de mãos dadas. Muita gente já matou ou já cometeu atentados contra a própria vida em nome do amor. Até mesmo na fonética o amor e a morte acabam se encontrando. Amor/A mor te, talvez por isso a expressão “morrer de amor” seja tão pronunciada por poetas e românticos inveterados.
Esse sentimento de querer morrer por amor já acometeu muita gente, mas principalmente as mulheres são vítimas desse tipo “loucura temporária”, a maioria dos casos de tentativas de suicídios passionais, as têm como protagonistas. Quantas vezes voocê já não teve um pensamento suicida?
O homem, com seu espírito machista, geralmente, reage de forma diferente, ao invés de atentar contra a própria vida parte para o ataque e procura agredir a ex-parceira ou até mesmo a pessoa com quem ela esteja convivendo ou até mesmo os filhos, que se tornam vítimas de sua ignorância. Tenho certeza que muitos dos que estão lendo este texto, já tiveram pensamentos insanos como esse, seja por ciúme ou por confundir sentimentos.
Mas, muitas vezes, como em uma novela a morte pode aproximar duas pessoas. Muitos romances podem começar de uma tentativa de cometer uma loucura. Afinal, nessas horas, o ser humano está mais frágil e pré-disposto a se agarrar na primeira “tábua de salvação” que aparecer. Pode ser em um momento como esse o grande amor irá aparecer na vida de uma pessoa. Mas, um alerta: não atentem contra a vida para ter uma chance de conseguir um grande amor. Tente, isso sim, ser mais observador. Pode ser que ele esteja mais próximo que imagina, afinal, o amor está na vida. O grande amor pode morar ao lado ou ter convivido com você a vida inteira e ainda não haver se revelado de forma clara. Procure, busque, nunca desista. Se um lhe abandonou o outro pode estar esperando a grande oportunidade de se jogar, não de cima de uma torre de telefonia celular, porém em seus braços e querendo viver uma paixão avassaladora, para depois se transformar em um grande amor, para, no final da vida, existir uma bela e profunda amizade e respeito, recheada de muito sexo e emoção, até que a morte os separe.

4 comentários:

Felipe Policarpo disse...

"o amor está na vida."

Concordo plenamente.

O amor verdadeiro do outro é uma consequência do amor verdadeiro que deve ter por si proprio.

Abraços!

Gaveteiro Espacial disse...

muito bom o blog, com conteúdo próprio, tenho um assim também se quizerem dar uma olhada..

Anônimo disse...

Oi Flávio! Encontrei você aqui! Pois é... E quem é que já não sofreu por amor? Sem exageros...
aqueta-2.zip.net

Tom disse...

Eu já passei dessa fase... hi hi hiii...
Agora, é só love, só love... ihihihihih